domingo, 18 de agosto de 2013

Solidão

Postado por Adriana Lima Muller às 07:53
Reações: 
Uma tristeza infinita 
envolve-me aos poucos 
Como um redemoinho
Que vai crescendo
engolindo aos poucos o que
ainda esta em pé.
É a solidão que aperta o meu ser 
pequeno e frágil
como um monstro
que fere sem piedade
dilacera o meu corpo
quebrando as amarras
que me prendiam ao tempo.
O espaço nada mais é
do que um grande vazio.
Um abismo em que eu 
me afundo mais e mais 
sem esperança 
de um dia retornar.
Onde está a luz que me sobrará?


0 comentários:

Postar um comentário

 

O Despertar de Adriana Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos